Quais exercícios são indicados para gestantes?

Personal gestante explica a importância da manutenção do corpo na gravidez.

A maioria das gestantes sente-se limitada a praticar exercícios durante os nove meses de gravidez por medo ou por indisposição. Apesar limitadas, as atividades físicas durante a gestação são indicadas para evitar o surgimento de doenças e também para controlar o ganho de peso de acordo com o crescimento do bebê.

No mês de maio comemora-se o Dia das Mães e, pensando nisso, a personal gestante Roberta Miguel separou seis exercícios que as gestantes estão aptas a fazer sem contraindicações.

Hidroginástica: a atividade mais indicada pelos médicos. Pela ausência de impacto possibilita uma atividade mais segura, sem risco de queda. Porém, é preciso cuidar com movimentos repetitivos que exigem muito do equilíbrio e da ação abdominal podem gerar desconforto.

Yoga: uma excelente atividade se as aulas direcionadas forem direcionadas para o público gestante, pois várias posturas de torção de tronco, hiperextensão, invertidas e respirações especificas não devem ser realizadas pelas futuras mamães.

Pilates: muito recomendada por promover um fortalecimento muscular de maneira suave e que prioriza bastante a organização postural que é tão importante nesse período.

Musculação: uma atividade milenar muito comum, mas que ainda geram muita polêmica e muito pouco indicada pelos médicos apesar de seus inúmeros benefícios. Sendo praticada com carga e intensidade moderadas, os exercícios sendo escolhidos com muito cuidado por um profissional especializado a atividade é muito segura e eficaz.

Funcional: atividade da moda, que pode sim der adaptada para gestantes, mas o ideal é que seja realizada individualmente, respeitando as necessidades de cada mulher.

Corrida: também gera muita polêmica, mas pode ser praticada pelas mamães que já praticavam antes da gravidez, desde que liberadas pelo obstetra e anda sim a sua prática tem que ser sempre avaliada por um personal gestante.

“Qualquer exercício é valido para a gestante desde que orientado por um profissional especializado, que entenda quais são as reais necessidades e limitações de cada trimestre de gestação. Gravidez não é doença. Com acompanhamento médico e de um educador físico competente, a gestante pode, sim, ter uma qualidade de vida muito maior”, diz a profissional.

Créditos: Roberta Gabriel – Personal Gestante

Confira matérias relacionadas: