Dia dos Namorados: Acerte na escolha do restaurante e do vinho

Foto: Reprodução

Chegamos em junho! O melhor mês do ano, época do meu aniversário e do Dia dos Namorados. Essa data traz algumas preocupações para a maioria dos homens, além de um certo estresse. Comprar presente e flores até que não é a parte mais difícil, complicado mesmo é decidir onde fazer o tradicional jantar. Restaurantes lotados, preços abusivos, serviço muitas vezes relaxado, enfim, são muitos os motivos que podem atrapalhar o romantismo da noite. Sou um desses caras que acredita que o dia 12 de junho é apenas mais uma data comercial, daquelas para o comércio encher os cofres, mas como não sou nenhum radical, também vou participar da festa e curtir o momento ao lado de minha noiva. Vamos as dicas, que obviamente se referem ao jantar, o doppo cena é assunto para outro tipo de blog:

1. Saia do óbvio — O dia dos namorados provoca uma verdadeira romaria aos restaurantes, portanto se você não gosta de aglomeração, fique em casa! Essa opção deve ser considerada por aqueles que gostam de comer e beber bem e são chegados das panelas. Homem que é homem também sabe conquistar uma mulher pela comida, por isso nunca hesite em preparar um belo jantar romântico.

2. Se for a um restaurante, saia do óbvio também — Não gosto muito de menus do tipo “Especial dia dos Namorados”, que geralmente impõe limitações e oferecem um vinho barato qualquer com valor dobrado, senão triplicado. A idéia parece boa, os casais se sentem atraídos pelo “pacote completo”, mas não podemos esquecer que esse pacote promove um ganho de escala para o restaurante. Então porque o menu especial costuma sair mais caro que os mesmos pratos em um dia qualquer? Deveriam custar menos… Certa vez liguei para um restaurante e questionei sobre isso, sabe qual foi a resposta? “Veja bem senhor, você ‘ganhará’ uma taça de Prosecco na entrada e uma garrafa de vinho para o jantar”. Perguntei qual vinho. “Ah sim! Deixe-me ver… É um Concha Y Toro. Pode ser tinto ou branco” Não era um restaurante qualquer, tampouco barato, por isso é melhor tomar cuidado. Nem todo restaurante que monta um menu especial está se aproveitando da situação, mesmo assim é bom ter cuidado, faça as contas e compare o preço com os pratos servidos em dias normais. Prefiro restaurantes tradicionais, que não mudam o cardápio em função dessa data (principalmente o preço) e que aceitam que o cliente leve seu vinho.

3. Faça reserva e questione sobre a possibilidade de levar o vinho — A primeira dica é elementar, nunca saia de casa no dia dos namorados sem reservas, pelo menos se você não quiser se aventurar por recônditos desconhecidos. A segunda é bastante polêmica, uma vez que muitos restaurantes não gostam da prática, mesmo cobrando a famosa rolha. Acho que o cliente tem o direito de levar o seu vinho, porém é preciso bom senso, porque não é legal levar um vinho muito barato ou que conste na carta do restaurante. E quanto ao valor da rolha? Acho que muitos restaurantes não deveriam nem cobrar, porque simplesmente não oferecem copos adequados, balde de gelo e serviço cuidadoso. Se não for esse o caso, acho justo cobrar um valor para servir o vinho do cliente.

Fonte de Pesquisa: QVinho

Confira matérias relacionadas: