A individualidade no namoro

Foto: Reprodução

Seu namoro é moderno, vocês tem uma relação aberta conversam e confiam plenamente um no outro, e na hora de sair sozinho, até aonde você pode ir?

Os tempos são outros, já se nota uma grande mudança na forma das pessoas lidarem com os relacionamentos amorosos, entretanto, algumas atitudes continuam enraizadas nas mentes das pessoas. Uma delas é sair com os amigos para balada, sem a presença do namorado(a) ou marido (esposa). Até que alguns casais aceitam, mas com algumas restrições de horário e principalmente de local, desde que seja em bares, pizzarias, mas danceterias… “de jeito nenhum”, algumas respondem.

A razão para que em determinados locais e horários seja permitido ao namorado (a) frequentar e em outros não, varia muito existem casais que permitem ao parceiro frequentar o futebol , um barzinho com os amigos, uma pizza com as amigas, o aniversário de uma amiga mas para por aí, quando o assunto é cair na dança em alguma boate, a maioria dos casais seja namorados ou casados tem restrições.

Indagados sobre as razões pelas quais alguns locais são permitidos nota se que boa parte não sabe os motivos de tais restrições e entre aqueles que procuram explicar não há unanimidade nas respostas, que em geral estão relacionadas a hábitos ou simplesmente por que supõe saber o que é melhor para seu namorado (a), e imaginam estar preservando o namoro.

Nota-se também que mesmo os locais e horários aos quais são permitidos ao namorado (a) freqüentar, ainda existem restrições quanto as pessoas que irão participar do programa, e em alguns casos ao chegar em casa é exigido um “relatório detalhado”.

A falta de individualidade nas relacionamentos amorosos afeta de alguma maneira todos os casais. Mesmo aquele namoro considerado moderninho onde os casais declaram confiar plenamente um no outro existem restrições quanto ao fato de fazerem algum tipo de programa sozinhos.
Os problemas de auto estima podem agravar a insegurança do parceiro e tornar o relacionamento amoroso insuportável, na medida em que esse parceiro tenta controlar os passos do outro. Quando se tem esse tipo de comportamento de qualquer um dos envolvidos no namoro a probabilidade de desgaste é bastante grande e não raramente pode significar o fim do romance.
Afirmações como “o que a cerveja tem de melhor que eu?” e “você gosta mais de seus amigos e do futebol que de mim” tendem a agravar a situação é preciso um diálogo que seja mais amigável e proveitoso e na hora certa.
Há mulheres e homens que dizem que ao entrar em um relacionamento tem sempre que renunciar a algo que gostava de fazer em benefício do outro. É fato que ao iniciarmos um namoro com alguém temos que ter em mente que uma boa parte do nosso tempo livre será dedicada a esse relacionamento, o que não significa que parte desse não possa ser aproveitado para fazer aquelas atividades ou programas que fazia quando estava sozinho.

Deixar de praticar o seu esporte favorito, de sair com os amigos (as) de vez em quando sozinho (a) não fazem bem a você nem tampouco melhoram seu relacionamento amoroso seja ele namoro, casamento ou qualquer outro.

Os exageros na tentativa de se prender a uma outra pessoa e de segurar o outro pode gerar grandes conflitos e tornar o namoro doentio. A luta inútil de tornar a pessoa amada um molde a sua imagem e semelhança prejudica a individualidade e gera uma série de problemas ao longo do namoro. O ideal é buscar o equilíbrio, respeitar sempre a individualidade do companheiro estando presente no que for possível, sem neuras.

É necessário antes de mais nada tentar conciliar aqueles programas que poderiam fazer juntos, aqueles em que não seja possível conciliar e que principalmente não seja agradável a ambos, paciência, é necessário e saudável para você e para o namoro respeitar essa individualidade

Boa sorte!

Confira matérias relacionadas: