6 dicas de como superar o término de um relacionamento

Dar espaço para o luto, botar para fora o que sente e não se privar de novos envolvimentos amorosos são algumas das coisas que tornam mais fácil aquele momento em que nos vemos tristes com o fim de uma relação
Foto: Reprodução

Quem já passou pelo término de um relacionamento sabe como dói não ter mais aquela pessoa querida ao lado para dividir bons momentos, principalmente porque, muitas vezes, isso acontece de forma repentina, fazendo com que seja ainda mais difícil se acostumar com a ausência de alguém que costumava estar ali o tempo todo.

Superar o término de um relacionamento pode ser difícil, mas não significa que você vai ficar na fossa para sempre

De acordo com um estudo publicado no periódico “The Journal of Positive Psychology”, são necessárias 11 semanas para começar a sair da fossa. Se você está se perguntando se há algo que ajuda a superar um término e não envolve toneladas de pizza e sorvete como nos filmes de comédia romântica, sem desespero! Confira 6 dicas de como lidar com esse momento difícil (algumas inclusive comprovadas pela ciência):

1. Dê espaço para o luto e ponha tudo para fora

Não adianta tentar agir como se não tivesse coração e prender o choro para que as pessoas pensem que você já está bem e não sintam dó. Guardar as emoções para si e não se permitir ter as reações normais pós-fim de relacionamento, como decepção, tristeza e até raiva. É comum ouvir as pessoas dizerem que, nesse momento, é hora de pensar em outras coisas, mas é, sim, uma boa ideia reservar um período para o luto.

De acordo com um estudo realizado em 2015 por cientistas da Holanda e da Croácia, mostra que derramar umas lágrimas é algo que pode melhorar o humor. Enquanto isso, outro estudo realizado por pesquisadores norte-americanos e publicado no periódico “Social Psychological and Personality Science” aponta que as pessoas que refletem cuidadosamente sobre o fim da relação, superam a decepção amorosa mais rapidamente. Tire esse tempo para tentar reorganizar sua vida e não se preocupe se isso te deixar sentimental.

2. Se ocupe

Pensar sobre o que aconteceu e organizar a cabeça é bom, mas não quer dizer que você tenha de ficar refletindo durante meses a fio. É importante que você se ocupe, seja com uma viagem, uma cerveja com os amigos, uma fugidinha da dieta para comer seu bolo favorito ou até com tarefas simples como redecorar um cômodo da casa e arrumar o guarda-roupa.

3. Cuidado com as redes sociais

É claro que algumas pessoas realmente elevadas conseguem manter a amizade com ex-namorados ou namoradas, mas, se você sente os níveis de ansiedade subindo e tem vontade de jogar o celular na parede toda vez que se depara com uma foto da pessoa no Instagram, talvez esse não seja o objetivo que você deveria perseguir.

De acordo com um estudo britânico publicado em 2012, pessoas que continuam amigas de antigos parceiras ou parceiros no Facebook apresentam níveis maiores de estresse. É claro que é difícil voluntariamente cortar as últimas formas de contato que você tem com alguém que amou, mas, eventualmente, você vai acabar se deparando com o que não quer ver ou ler (principalmente se essa pessoa entrar em um novo relacionamento após o término de vocês).

Hoje, tanto o Twitter quanto o Facebook têm a função de “mutar” ou deixar de ler o que determinadas pessoas falam sem de fato precisar deletá-las das plataformas. Respire fundo e teste. Você provavelmente já tem muita coisa na cabeça para deixar que a internet te lembre o tempo todo que aquela pessoa existe e não está mais ao seu lado (além de evitar possíveis recaídas).



4. Nada de se isolar

Quando se está triste, é normal ter vontade de se isolar do mundo com um estoque vitalício de sorvete, comida congelada e filmes dramáticos, mas não é hora para isso. Além de dar espaço para o luto e não manter as emoções presas dentro de si, também é importante conversar com amigos, terapeutas, parentes, colegas de trabalho e qualquer outra pessoa com quem você se sinta confortável em falar.

Além disso, também é normal pensar que o ex ou a ex é indispensável e insubstituível. Você realmente nunca vai conhecer duas pessoas idênticas, mas isso não significa que não há mais ninguém capaz de te fazer feliz. Outro estudo norte-americano publicado em 2014 no periódico “Journal of Social and Personal Relationships” afirma que pessoas que tiveram envolvimentos amorosos após um término apresentam um bem-estar melhor do que quem permaneceu solteiro.

Não se force a nada, mas, se surgir alguém minimamente interessante, tente conhecer a pessoa melhor, você pode se surpreender!

5. Faça um diário

É claro que você pode conversar sobre o momento com pessoas queridas, mas é certo que, uma hora ou outra, eles vão se cansar de ouvir falar no assunto o tempo todo. Para evitar desgastar amizades, você pode escrever sobre o que está sentindo, mas não necessariamente para mostrar ao mundo. Mesmo que sejam pensamentos desconexos, desabafos embaraçosos ou apenas um diário convencional listando tudo o que acontece nos seus dias, escrever também é uma forma de “colocar para fora” o que está te corroendo por dentro.

6. Redescubra antigos hobbies

Quando as pessoas estão em um relacionamento, é normal que criem o hábito de fazer certas coisas juntas – como assistir a uma série específica – ou até ter aquele lugar especial que sempre frequentam. Com isso, é possível que elas deixem antigos hobbies para trás e, após o término, fiquem meio perdidas.

Em vez de seguir as “tradições” que tinha com a pessoa amada, que tal retomar passatempos que você tinha antes do relacionamento? Se você tinha paixão por “Harry Potter”, por exemplo, releia os livros ou faça uma maratona de filmes. Se você curtia correr para mandar o estresse embora, talvez seja uma boa hora para recomeçar. Amava passar horas vendo sua banda preferida dando entrevistas? Se dê esse direito! Talvez isso te ajude a lembrar que é, sim, possível ser feliz após um término.

Fonte: Delas – iG

Confira matérias relacionadas: