O chocolate que não engorda e embeleza.

Foto: Reprodução

Ele pode ser consumido de uma maneira que não vai deixar peso nem na consciência. Seu uso eleva a auto-estima e propicia uma grande sensação de bem estar.

As aplicações cosméticas do cacau vão muito além da conhecidíssima manteiga de cacau usada como emoliente e proteção dos lábios

Curiosidades ao longo do tempo:

Séculos atrás Napoleão Bonaparte já havia percebido que o chocolate não era um produto qualquer e o teria levado em várias de suas campanhas. A engenheira química e especialista em cosmetologia da Valmari, Dra. Silvana Kitadai Nakayama cita inclusive uma determinação sua que diz: ” O cacau não é um item de luxúria ou simplesmente um doce. Suas propriedades nutricionais são evidentes e incomparáveis, e por causa de seu aroma e seu sabor, que são extremamente prazerosos ao nariz e ao paladar, tornou-se um produto de consumo em massa para o qual eu proclamo uma tarifa mais baixa, pois oferece um benefício físico e moral” (Texto de Napoleão III, 5 de Janeiro de 1860).

Apesar de ser um produto antiqüíssimo, a descoberta dos benefícios cosméticos do cacau foi relativamente tardia, já que a extração de suas matérias-primas era mais focada para a indústria alimentícia, como conta a engenheira química.

A transição para uso cosmético se deu quando os pesquisadores, depois de verificarem a sua alta capacidade de hidratação, descobriram ativos extraídos da casca dos grãos de cacau com propriedades anti-estressantes e fito-emagrecedoras, esclarece a Dra. Nakayama.

“A cosmética Gourmet é uma tendência mundial que associa a idéia de prazer e nutrição dos alimentos para pele”, diz a engenheira química.

Cacau, o benfeitor

Theobroma Cacao é o nome científico da fruta do cacau da qual se faz o chocolate. Tanto sua manteiga quanto suas sementes podem ser utilizadas na indústria cosmética para diferentes fins.

A manteiga de cacau contém ácidos graxos essenciais, com propriedades nutritivas e hidratantes que diminuem a TWEL (Perda de Água Transepidermal da Pele), mantendo a hidratação natural da pele, como informa a Dra. Nakayama.

Da casca dos grãos de cacau, especialmente ricos em teobromina e cafeína, dependendo do processo de extração, obtém-se:

– propriedades emagrecedoras quando feito a base de xantinas;

– ação anti-radical livre (antienvelhecimento) quando realizados a base de polifenóis

Além disso, o aroma do cacau exerce influência sobre o sistema nervoso. As betas endorfinas são liberados por um efeito imuno-modular, proporcionam sensação de prazer e bem estar, explica a Dra. Silvana. Ela lembra, porém, que atualmente os ativos cosméticos buscam a associação da eficácia com o prazer e bem estar, porém a busca da eficácia ainda é mais importante em um produto cosmético.

Usando chocolate nos cosméticos:

Hidratação: A manteiga de cacau pode ser usada em hidratantes corporais, protetores labiais e em produtos para o cabelo. “A reposição lipídica proporciona maciez ao cabelo”, acrescenta a Dra. Nakayama. Ela deve ser evitada para pessoas com pele muito oleosa, caso esteja presente em alta concentração na fórmula.

Emagrecimento: Preparados feitos a partir da extração a base de xantinas cuja atividade lipolítica é reconhecida, para tratamento de gorduras localizadas (coxas, abdômen, glúteos, braços). “Eles agem na ativação da degradação das triglicérides, que são transformados em ácidos graxos e glicerol, que funcionam como combustível para outros tecidos”.

Anti-envelhecimento: Feitos com o produto do processo a base de polifenóis são ótimos para combater os radicais-livres e são indicados para cremes faciais produtos corporais para SPA.

Anti-stress: O aroma de chocolate exalado nos diversos cosméticos desencadeia no cérebro uma sensação de prazer e bem-estar.

Alerta!

Para os que pensam que o chocolate comum pode gerar bons resultados, a Dra. Silvana adverte: “o chocolate comum não é adequado para o uso direto na pele devido ao sensorial, aplicabilidade (precisa ser fundido para uso), e, principalmente, porque as propriedades dermatológicas ficam comprometidas por não possuir a extração do ativo”.

Fonte: W Mulher

Confira matérias relacionadas: