Vida de bebê – Mitos e verdades

Ninguém sabe ao certo de onde e quando surgiram estas afirmações, mas muita gente se sente confusa com elas.

Acabe com suas dúvidas, de uma vez.
Recém-nascido sente muito frio: muita gente pensa que o recém-nascido é superfriorento, quando na verdade, tem a mesma sensibilidade térmica que nós.Como grande parte das mães não sabe disso, coloca muitos agasalhos no bebê. Um erro.

Quanto menor o bebê, maior o risco de acúmulo excessivo de calor, por incapacidade de se livrar dele. Quando um bebê sua, é sinal que a coisa está feia, pois os bebês têm poucas glândulas sudoríparas. Aqueles que necessitam maiores cuidados são os prematuros porque ainda não possuem controle térmico.

Andar descalço resfria: há pais que vivem apavorados e não permitem que o filho ande descalço. Mas não é o pé nem o sapato que resfria, e apenas aqueles que não estão acostumados s temperaturas mais baixas reagem mal ao contato súbito com o frio.

O melhor é não impedir que seu filho ande descalço. Além de torná-lo menos vulnerável ao frio, o pé no chão vai lhe dar mais equilíbrio, sobretudo na fase em que está começando a andar. As crianças que andam descalças têm seu tônus muscular fortalecido.

Gelado faz mal garganta: este é um tabu que passa perto da verdade. Mas não é o frio que faz mal garganta.

As inflamações das amígdalas são causadas por algum germe que se instalou nesta região. Só que quando mucosa está irritada, tanto o líquido muito frio quanto o muito quente vão acentuar a irritação. Já quando a criança opera as amígdalas, há indicação de que tome sorvetes. Neste caso, ela teve um traumatismo na garganta e a dor é aliviada com o gelado. Com a garganta inflamada ou simplesmente dolorida, o melhor é tomar líquidos mornos ou na temperatura ambiente.

No dia-dia, entretanto, se a criança estiver bem de saúde, não há nenhum mal em ingerir bebidas geladas, desde que esteja acostumada a eles.

Comida e banho indigestão: há sempre uma história para contar sobre alguém que ficou doente, até morreu, depois de uma refeição seguida de um banho.

Esse tabu, dos mais antigos, também tem um fundo de verdade. Quando o estômago se enche, a circulação sangüínea fica mais lenta no cérebro. É por isso que após as refeições mais pesadas as pessoas sentem uma certa sonolência. Quando se agita demais nesse momento, pode surgir um distúrbio digestivo. Entretanto, não é o contato com a água que pertuba a digestão e sim o esforço que um banho demanda. Em se tratando dos pequenos, que costumam fazer uma grande farra nessa hora, os riscos aumentam, mas só se tiverem comido demais.

Leite materno pode ser fraco: não existe leite materno fraco. Este tabu surgiu a partir do momento em que as mães passaram a ter a opção do leite em pó como substituto de seu próprio leite.

Elas experimentaram o leite de vaca em seus filhos e perceberam que estes levaram mais tempo para reclamar de fome.

Algumas acharam, por isso, que ele era mais forte. Engano:o leite de vaca é apenas mais gorduroso. Além disso, como este também leva açúcar e farinha, o estômago do bebê fica cheio por mais algumas horas.

O leite materno é mais leve, mais nutritivo, com a vantagem de imunizar os pequenos contra uma série de doenças. O que acontece é que a produção do leite é conseqüência direta do consumo: quanto mais o bebê suga, mais leite estará produzindo.

Chupeta faz ficar dentuça: infelizmente é verdade. Tanto chupeta quanto o dedo exercem uma pressão na arcada dentária, forçando-a para fora.

Por outro lado, não se pode esquecer que a chupeta ajuda as crianças a suportarem melhor a ausência do peito da mãe, deixando-as mais calmas. Mais é importante seu uso não ultrapassar os seis meses.

Criança não tem dor de cabeça: dor de cabeça independe da idade. Mesmo os bebês novinhos podem sofrer desse mal como conseqüência de infecções virais, alergias, problemas digestivos ou febre.

Outra causa comum são deficiências visuais, que se manifestam principalmente quando a criança entra para a escola.

Comer noite atrapalha o sono: o estômago funciona da mesma forma, não importa o horário. Não é o alimento que pode provocar indigestão e sim o fato de a pessoa estar ou não habituada a comer grandes quantidades noite.

Estando acostumada, pode comer até feijoada. Cabe porém ressaltar que a auto-sugestão tem um enorme poder sobre funcionamento do nosso corpo. Se a pessoa come com medo, corre o risco de passar mal mesmo. Portanto, se está sugestionada, melhor não arriscar.

Ar-condicionado piora a gripe: esse mito não é do tempo de nossas avós , e deve ter surgido porque os aparelhos de ar-condicionado não têm umidificador.

À medida que esfriam o ar, vão retirando toda a sua umidade. Por esse motivo, as mucosas ficam ressecadas e até irritadas. Se a pessoa já estiver com uma inflamação de garganta, por exemplo, o mal-estar tende a piorar com o uso do aparelho. Uma boa solução para umidificar o ambiente é colocar um vaporizador ou mesmo uma bacia com água no quarto com ar-condicionado.

Com gripe não pode ir praia: não tem o menor fundamento a crença de que água fria cause resfriados. Pelo contrário: banhos de piscina bem cedo pela manhã são ótimos, inclusive para prevenir resfriados. Principalmente no caso de crianças alérgicas.

Quando seu filho estiver encatarrado, por causa de um resfriado que está acabando, o banho de mar ou piscina é saudável e funciona como uma boa fisioterapia respiratória, ajudando a eliminar as secreções. Deve-se apenas ter o cuidado de envolvê-lo na toalha ao sair de dentro da água para evitar que sinta frio. A única contra-indicação aos banhos fica por conta de crianças com problemas de ouvido.

Fonte: www.avidadobebe.net/mitos.php

Posted Under
Sem Categoria