O que fazer e o que não fazer no ambiente de trabalho

Seguem algumas dicas sobre o que é correto e o que não é correto fazer no dia-a-dia do trabalho:
– No dia-a-dia, é comum usarmos gírias e, algumas vezes, falar palavrões. Entretanto, este tipo de linguagem não é recomendado no ambiente de trabalho. Em alguns casos, este vocabulário pode agredir as pessoas e fazer com que seja atribuída a elas uma imagem de “boca suja” dentro da empresa.
– Mesmo que esteja de mau humor, procure não ficar falando de seus problemas, principalmente com pessoas não muito próximas. A coisa mais chata do mundo é ficar ouvindo os problemas dos outros, especialmente quando não são amigos íntimos e, s vezes, nem conhecidos.
– Outro ponto importante é no que se refere ética profissional. Procure não falar mau do comportamento e muito menos do desempenho dos seus colegas de trabalho. Esta função de fiscal e de avaliador deve ser do seu chefe, e não sua.
– Segundo pesquisas realizadas pelo Grupo Catho, os estagiários faltam, em média, 2,74 vezes por mês no estágio, e chegam atrasados 10,85 vezes ao mês. Dessa forma, procure sair desta estatística negativa, faltando e chegando atrasado o mínimo possível.

Telefone
– Ao atender ao telefone, diga seu departamento e seu nome. Em seguida, cumprimente quem está chamando com “Bom dia”, “Boa tarde” ou “Boa noite”.
– Procure não deixar o interlocutor esperando por mais de um minuto. Caso seja inevitável, pergunte se ele pode esperar pelo tempo necessário.
– Por mais antipático que o interlocutor possa ser, seja sempre gentil.
– Se a ligação for para outra pessoa que não puder atender na hora, pergunte se pode retornar a ligação em dez minutos, ou quando a pessoa puder. Anote nome, empresa e número de telefone de quem chamou. Cumpra a promessa que fez ao dizer que ia retornar a ligação, mesmo que seja apenas para dizer que a pessoa está com a agenda cheia naquele dia e que só poderá atender ao interlocutor em outra ocasião.
– Se a pessoa pedir para segurar a ligação por alguns minutos, evite fazer fofocas ou ficar conversando com outras pessoas enquanto o interlocutor aguarda na linha.
– Se o interlocutor perguntar “Como vai?”, não leve a pergunta ao pé da letra. Diga apenas “Bem, obrigada(o)”, mesmo que naquele dia o mundo tenha caído para você.
– “Quem deseja?” e “Quem gostaria?” são perguntas indevidas e feias para atender ao telefone. Prefira a frase “Quem quer falar?”.
– Nunca diga que a pessoa não está depois de perguntar quem quer falar. Primeiramente, informe que a pessoa não está, depois pergunte o nome de quem quer falar com ela.

Fonte: www.catho.com.br

Posted Under
Sem Categoria