É sempre virose?

Foto: Reprodução

Saiba como tratar e identificar os sintomas de infecções intestinais, vômitos e diarreias mais frequentes no verão

Altas temperaturas, dias mais longos e as merecidas férias com a família são alguns dos principais “hits” da temporada, porém, muitas vezes, esses pacotes vêm acompanhados de visitantes indesejáveis: as típicas viroses de verão.

Diarreia, náusea, vômitos, intoxicações alimentares e outros distúrbios gastrointestinais são alguns dos sintomas que podem ser identificados como virose. Porém, é preciso ficar atento ao desenvolvimento do quadro clínico e buscar tratamento adequado, pois nem sempre “é virose”. Entre os tipos mais diagnosticados, estão o rotavírus A, norovírus, adenovírus entéricos e astrovírus, que têm como principal efeito a gastroenterite. Estas infecções virais agridem o estômago e o intestino, causando desconforto que pode evoluir para desidratação.

De acordo com Dr. Hassan Yassine Neto, cirurgião torácico e médico responsável pelo Pronto Socorro do Hospital Bandeirantes, as viroses possuem sintomas similares, descritos acima, e em alguns casos podem vir acompanhados, ainda, de dores abdominais e febre. “No geral, o paciente sente tudo isso por até cinco dias. Caso o quadro persista por um período maior, é preciso buscar o diagnóstico de outras doenças através de exames de sangue, fezes, endoscopia e, em seguida, prescrever medicação adequada. Nosso foco inicial é amenizar ao máximo os, tão desconfortantes, sintomas para que obtenhamos também o controle da desidratação, independentemente do tipo de vírus que foi contraído. Em seguida, trabalhamos com medicações que visam repor a flora intestinal. Maquiar os sintomas com medicamentos não recomendados é extremamente perigoso. Por isso aconselhamos que uma orientação médica seja ouvida logo no início dos sintomas”, completa o especialista.

As chamadas, gastroenterites virais, são transmitidas por meio de água contaminada e também, diretamente, por pessoas infectadas que a fazem devido à má higienização das mãos durante os cuidados pessoais e o preparo da alimentação. Na outra mão, nos casos de infecções por bactérias, é preciso ficar atento ainda para as condições de armazenamento de alimentos consumidos, tanto na praia quanto em restaurantes, em especial os self services. “Temperaturas muito elevadas acabam por diminuir o tempo de validade de certos produtos, então, é preciso ficar atento para o aspecto da comida, seja em alimentos comprados na praia como queijos, tapiocas, milho, etc. ou até mesmo em restaurantes de comida a quilo, com grande circulação de pessoas e fácil proliferação de vírus e bactérias”, alerta o médico.

Principais cuidados
– Beba muitos líquidos, em especial água mineral filtrada, sucos coados e bem diluídos e água de coco;
– Lave sempre as mãos e utilize álcool gel como complemento da higienização;
– Atenção redobrada com as crianças e idosos, pois eles desidratam com mais facilidade e acabam mais suscetíveis a complicações;
– Busque alimentos de procedência conhecida e higienização confirmada;
– Procure um médico ao início dos primeiros sintomas. Nem sempre é uma simples virose.

Posted Under
Sem Categoria