Drenagem Linfática

Quando o assunto é beleza, nem sempre é fácil escapar dos modismos. E a moda do momento é uma massagem que promete maravilhas: a Drenagem Linfática. O método não é novo, mas voltou com tudo neste verão.

No que se refere Drenagem Linfática, há total concordância entre os trabalhos consultados de que ela aumenta o fluxo sangüíneo e proporciona a eliminação de toxinas. Porém, para que o resultado seja satisfatório, é de vital importância que o fisioterapeuta tenha conhecimento da disposição do sistema linfático no corpo humano.

Atualmente, a Drenagem Linfática manual é representada principalmente por duas técnicas: a de Leduc e a de Vodder. Ambas são baseadas nos trajetos dos coletores linfáticos e linfonodos, associando basicamente três categorias de manobras: manobras de captação, reabsorção e de evacuação. A diferença entre elas reside somente no local da aplicação.

Sabe-se que as vias linfáticas não possuem um órgão central bombeador, e se caracterizam por serem um sistema de mão única – isto é, as manobras não devem ser executadas em sentido inverso ao natural, porquanto o resultado será absolutamente inócuo.

O movimento da linfa depende da capilaridade e de forças externas ao sistema. A pressão externa a ser exercida pela massagem manual deve superar a pressão interna fisiológica, a qual pode chegar a 25 – 40 mmHg nos grandes vasos linfáticos.

As manobras são indicadas na prevenção e/ou tratamento de edemas (inchaços), fibro edema gelóide (celulite), queimaduras, enxertos, pré e pós-operatórios de cirurgias plásticas.

Ademais, a indicação da Drenagem Linfática vem se ampliando e os seus benefícios são inúmeros, dentre eles: maior oxigenação celular, aumento da defesa imunológica, ação antiinflamatória, dinamização de todos os processos catalisadores de uma boa cicatrização, além, é claro, de melhorar o aspecto “casca de laranja” causado pela retenção líquida.

É importante ressaltar: mulheres que procuram a técnica para se livrar de estrias e gordurinhas indesejáveis não obterão êxito. E isso porque a Drenagem Linfática atua apenas como tratamento coadjuvante na redução de medidas. Também com relação s estrias a técnica não tem eficácia, servindo-se, tão-somente, para hidratar a pele na medida em que cremes serão utilizados nas manobras a serem executadas.

Afirma-se ainda que a drenagem linfática não seja recomendável para pessoas que tiveram neoplasia (câncer), ou que têm alguma suspeita de câncer, processos infecciosos, trombose venosa profunda, erisipela, insuficiência cardíaca e febre.

Como se pode observar, a Drenagem Linfática manual é uma alternativa eficaz para a manutenção do sistema imunológico, assim como para criar bem estar e melhorias de saúde a todos os níveis. A drenagem é um tratamento que possibilita fazer parte da rotina, podendo ser feito semanalmente.

Fonte: www.uraonline.com.br

Posted Under
Sem Categoria