Dormir para ficar bela

Belas adormecidas modernas sabem que uma boa noite de sono faz maravilhas. Melhor ainda é poder aliar ao sono os recursos da estética para ficar ainda mais bonita. É cada vez maior a quantidade de cremes indicados para noite, que trabalham enquanto você dorme, potencializando tratamentos para o rosto, copo, cabelos, pele e até dentes.

Cremes da noite
Se os cremes diurnos protegem, hidratam e mantêm a pele, os noturnos visam esfoliação, recuperação, nutrição e renovação celular. Como não são expostos ação do sol, podem ser formulados com princípios ativos fotossensibilizantes (que reagem luz solar) em maiores concentrações e texturas mais consistentes. Na tentativa de potencializar a troca de células antigas por novas, que é naturalmente acelerada durante o sono, eles reúnem ingredientes como a vitamina A Palmitato (ou Retinol), versão mais suave do ácido retinóico. Trazem também os alfa-hidroxiácidos, esfoliantes naturais e, vitaminas, como a C, que combate os radicais livres, clareia a pele e estimula as fibras de sustentação. A concentração dessas substâncias em cosméticos industrializados obedece a um limite. Significa que sua ação é eficaz, mas não tão potente quanto um ácido retinóico ou glicólico receitado por um dermatologista na concentração certa para cada tipo de pele. O ideal é a união dos cosméticos com tratamentos indicados pelo médico.

Muitos cosméticos noturnos são indicados para todos os tipos de pele. Antes de comprar, o melhor é experimentar a textura para avaliar sua adequação: mais leve para peles mistas e oleosas; mais consistente para peles secas.

Tratamentos sob medida
O tratamento indicado pelo dermatologista permite o uso de substâncias puras em concentrações elevadas e variáveis conforme a evolução dos resultados. Entre estas substâncias destacam-se ácidos como o retinóico, líder absoluto na renovação celular e com ação comprovada na estimulação das fibras de colágeno (responsáveis pela firmeza da pele); os alfa-hidroxiácidos, especialmente o glicólico, por sua ação esfoliante e hidratante; e a vitamina C pura, importante no bloqueio aos radicais livres e no clareamento de manchas. Em função da ação complementar que as substâncias apresentam, os dermatologistas costumam associá-las em uma mesma formulação ou alterná-las de acordo com as necessidades da pele da paciente.

O uso de ácidos, especialmente o retinóico, deve ser suspenso 48 horas antes da exposição solar, permitida apenas sob a proteção de um bloqueador com fator acima de 15.

Pés quentes
Os pés podem receber cuidados parecidos com o das mãos para combater o ressecamento. Basta envolvê-los com uma grande quantidade de hidratante e, por cima, colocar uma meia de lã como fonte de calor. Pela manhã poderão ser lixados com mais facilidade. Tente o Odorant Gel Creme Desodorante para Pernas e Pés (R$ 20), da Aster, com uréia, mentol e cânfora, que hidrata e refresca; o creme Conforto para os Pés Hidratante de Ação Dupla (R$ 6), da Avon, com manteiga de cacau e óleo de hortelã-pimenta e o Soothing Foot Cream (R$ 10), da Oriflame,que refresca e alivia os sinais de cansaço dos pés.

Rosto claro como a Lua
As manchas mais comuns, chamadas senis, surgem após os 40 anos em função do efeito acumulativo do sol. Os melasmas, outro tipo de manchas, são desencadeados por razões hormonais ou predisposição genética. Para trata-las, é preciso persistência: manchas superficiais podem sair em 60 dias, as mais profundas ou antigas levam de seis meses a um ano.

O tratamento consiste na aplicação de substâncias capazes de agir dentro das células, diminuindo a produção da melanina (substância natural que pigmenta a pele). Entre estas, a mais eficaz é a hidroquinona. Outros ácidos também podem ser utilizados. Associados ou alternados a esses, pode-se aplicar ácidos como retinóico e glicólico ou a vitamina C. São substâncias que, ao acelerar a troca da superfície da pele, diminuem o pigmento que estava ali depositado. Durante o tratamento é fundamental o uso do bloqueador solar, porque quanto mais sol, mais escura ficará a mancha. Os tratamentos antimanchas e anti-sinais podem ser feitos ao mesmo tempo. “Como as substâncias são compatíveis, uma noite, trata-se as manchas, na outra, os sinais do tempo”, diz Steiner.

Um sonho de sorriso
Com a evolução da odontologia cosmética é possível clarear os dentes em casa com a aplicação de géis clareadores (entre eles, o peróxido de carbamida). Em contato com as primeiras camadas do dente, esta substância provoca uma redução dos pigmentos incorporados a elas.

Para que o gel permaneça em contato com o esmalte durante a noite toda é preciso dormir com uma placa de acetato, fina e maleável, moldada previamente na boca da paciente. Na manhã seguinte, basta escovar os dentes para remover o produto. Durante as duas horas seguintes, enquanto a saliva estiver formando uma película natural de proteção sobre os dentes, é proibido fumar ou ingerir substâncias corantes como café, chá-preto, vinho, Coca-Cola, balas e geléias. Como o esmalte do dente estará poroso, ele vai absorver estes pigmentos mais facilmente.

Nesse período os dentes estarão mais sensíveis e deve-se evitar frutas cítricas, que podem provocar dor. O dentista deve acompanhar semanalmente o tratamento (que dura quatro semanas) para controlar o grau de clareamento dos dentes. Desde que sejam respeitados os limites de concentração da substância e do intervalo de um ano entre um tratamento e outro, o método não oferece riscos. Os melhores resultados são obtidos em manchas provocadas por cigarro e café. O clareamento pode durar um ano ou mais.

Fonte: www.unisite.com.br

Posted Under
Sem Categoria