Curto, médio ou longo?

Foto: Reprodução

Valem todos, e para todos os gostos! Linhas retas, um leve movimento nas pontas e franjas de vários tamanhos. Essas são as características dos looks eternos, segundo o Beauty Artist Dempsey, da Casa Mauro Freire (SP)

CURTA OS CURTOS
O novo Chanel tem a base desconectada. A parte de cima do cabelo dá a impressão de ser fio reto, por conta dos detalhes nas pontinhas. Para emoldurar o rosto, franja na altura dos olhos.
Totalmente desestruturado, a releitura do corte joãozinho esbanja meiguice. A diferença do antigo visual está na franja longa e na desconexão feita com tesoura ou navalha.
 
FAZENDO MÉDIA
Ondas e cachos bem-feitos encurtam os fios. Nesta versão de corte médio há um franjão, um leve repicado na lateral frontal (mesmo os cacheados podem ganhar balanço com essa técnica) e caimento. O corte é mais pesado, propositalmente, para não desalinhar o look.
A beleza simples marca presença. O fio é reto e apenas as pontas são levemente degrafiladas (levante a ponta e picote na diagonal, aleatoriamente) para ficarem desiguais sem perder a simetria. Três dedos mais curta que a parte de trás, a frente acompanha o degrafilado.

VIVA OS LONGOS

O longo lisérrimo, embora não tenha segredos, precisa de cuidados especiais para estar sempre sem pontas duplas ou arrepiados. O fio é reto e somente a parte da frente é levemente degrafilada, garantindo suavidade a expressão.
Muito volume pede uma base desigual para manter o corte sob controle. Todo repicado (do comprimento em direção às pontas) o visual tem movimento e flexibilidade. Franja longa na altura dos lábios arremata o look

Fonte: Corpo Professional – Ed 02

Posted Under
Sem Categoria