Comedoras compulsivas: quando o assalto geladeira vira doença

Não basta sentir vontade de fazer um lanchinho de madrugada ou devorar uma caixa de bombons uma vez na vida para ser uma comedora compulsiva. Quem apresenta esse distúrbio come uma grande quantidade de alimentos em um curto espaço de tempo, praticamente sem mastigar ou sentir o gosto.

Em um desses ataques, podem ser ingeridas até 3.000 calorias, o que equivale a trinta brigadeiros ou dez cachorros-quentes.

“As compulsivas costumam ir direto aos doces, carboidratos e alimentos gordurosos, que rapidamente estimulam a produção de serotonina, substância que atua no cérebro e regula o apetite”, conta Walmir Coutinho, endocrinologista e presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade (Abeso). “Elas comem sem fome, até se sentirem empanturradas. E, geralmente, têm uma sensação de terrível falta de controle”, completa o médico.
Resultado: além de vergonha e culpa, problemas físicos.

No fim da aventura glutona, o que fica é uma enorme indisposição e um sentimento de
culpa.

“É comum que a compulsiva esconda seu hábito. Ela sente tanta vergonha dele que evita
comer perto de outras pessoas”, fala Coutinho. Por isso, quando pressionada por amigos ou parentes, as compulsivas se isolam ainda mais. Esse distúrbio pode dilatar o estômago, provocar problemas cardiovasculares, elevar a taxa de colesterol e aumentar a propensão ao diabetes.

Quem está no grupo de risco:
* Mulheres extremamente ansiosas.
* Aquelas que vivem fazendo dietas correm o risco de desenvolver esse transtorno
alimentar. “Longos períodos de jejum provocam a queda do nível de serotonina”, explica
Coutinho.

Para sair dessa:
Quando sentir aquela vontade louca de comer, procure se distrair com outras atividades
como ligar para uma amiga ou resolver tarefas pendentes em casa, arrumar o escritório,
mudar a decoração da estante…
Isso pode parecer coisa de Amélia, mas esse gasto de energia vai ajudar você a esquecer
a fome descontrolada.

Encontre atividades que lhe acalmem e dêem prazer. Quer um exemplo? Vá caminhando até a manicure e cuide um pouco de você.

Não tenha vergonha porque você não está sozinha. Estimativas revelam que cerca de 2% da população brasileira sofre desse mal. Nos Comedores Compulsivos Anônimos (CCA), você pode trocar experiências e buscar apoio entre pessoas que têm esse mesmo problema.

Mantenha a compulsão sob controle:
As dicas acima podem ajudar bastante. Porém, é importante que você procure ajuda
psicológica. Assim, o tratamento será mais rápido e eficaz. Além disso, um endocrinologista pode ajudá-la a restaurar o equilíbrio hormonal do organismo abalado pelo distúrbio.

Fonte: http://br.geocities.com/f_lady1/comportamento.html

Posted Under
Sem Categoria