Alergia a acessórios

Orelha vermelha, coceira… Alguns materiais utilizados para fabricar bijuterias podem causar alergia.
A dermatologista Paula Raso conta que, teoricamente, qualquer produto pode provocar o problema, mas o grande vilão dos brincos, colares e pulseiras é o níquel, muito usado nas produções por causa do seu baixo custo.

O cosmiatra e dermatologista Jardis Volpe completa dizendo que o cobalto também é um agente causador em potencial. O problema é denominado dermatite de contato e o quadro se caracteriza por eczema, coceira, avermelhamento da pele e descamação do local, podendo formar algumas vesículas (bolhas pequenas) e crostas.
O problema se autolimita, ou seja, não traz conseqüências maiores e melhora com a simples suspensão do acessório.
A dermatologista Dilci Franco lembra que o plástico também pode causar a dermatite.
É importante lembrar que nem sempre trocar a peça por outra de ouro resolve, uma vez que são raras as jóias fabricadas puramente com o material. O ouro puro, de 24 quilates, é muito mole, dificultando a produção e uso da peça. As jóias verdadeiras costumam ser confeccionadas de uma liga do ouro com outros materiais, como prata, ródio, paládio, cobre e o próprio níquel, de acordo com a cor que se quer obter. Qualquer uma dessas substâncias pode ajudar a desenvolver a alergia.
Usar brincos de pressão não ameniza a questão, já que o simples contato com o material é suficiente para causar a dermatite. "Para exemplificar, temos a alergia a determinados relógios e à parte interna dos botões das calças", diz Paula.
A causa da alergia é a sensibilidade ao produto após o contato com o mesmo, podendo demorar anos para se manifestar. O mesmo ocorre com cremes e alimentos. A dermatologista Paula Penna lembra que essas pessoas têm a probabilidade de desenvolver também alergias a detergente, tintura de cabelo e cimento.
Segundo Volpe, a dermatite acontece porque a pele vai sendo estimulada à inflamação com o uso prolongado do material. Da mesma forma, é possível que a pessoa deixe de ser alérgica a uma substância com o passar do tempo.
"O ideal é fazer o teste alérgico para saber exatamente qual é a substância que tem a alergia e, assim, procurar um acessório que não contenha essa substância", explica a dermatologista Karen Azevedo.

Cuidados necessários

• Aplicar esmalte na peça pode diminuir o contato do metal com a pele, mas não o isola totalmente,
portanto não resolve o problema. Soluções como essa ou colocar o brinco no alho podem, inclusive,
irritar ainda mais a epiderme.

• Teste bijuterias fabricadas com outros materiais e evite o uso do produto que causa o problema.

• Cremes à base de corticóide e anti-histamínicos orais geralmente ajudam, mas o importante é não usar mais o
agente causador da alergia.

• Consulte um dermatologista que irá prescrever pomadas anti-inflamatórias de acordo com a área afetada, por um
determinado período de tempo.

• O ouro puro é a substância menos alergênica, causando o problema raras vezes.

Fonte: Oficina da Moda 

Posted Under
Sem Categoria